terça-feira

, 09 de agosto de 2022

Seminário “Filosofia e Saúde” abre o Semestre Letivo na Faculdade Dom Luciano

18 de agosto de 2020 Arquidiocese

Refletindo sobre a temática da saúde, na sua relação com a filosofia e a pandemia, a Faculdade Dom Luciano retomou as atividades acadêmicas deste segundo semestre de 2020, na última sexta-feira, 14 de agosto, com a abertura do Seminário “Filosofia e Saúde”.

O Seminário “Filosofia e Saúde” foi pensado em seu caráter interdisciplinar e contempla várias áreas do saber. Segundo padre Edvaldo, professor e Coordenador do Curso de Filosofia da Faculdade Dom Luciano,“O Seminário ‘filosofia e saúde’ surge no contexto do imediato no qual todo mundo está sendo obrigado a viver, a pandemia causada pela COVID-19. O risco é perder a razão, mas o papel da filosofia é o convite ao pensamento. E o melhor é pensarmos juntos, no coletivo. Neste sentido, escolhemos como eixo principal do seminário pensar a partir do sofrimento humano. Fazendo memória a Dom Luciano “pensamos também no lugar profético de sua fala, de sua defesa pela vida, assim como afirma o Evangelho de João (10, 10): ‘Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância’”, disse.

“A saúde e a formação integral da pessoa humana” foi o tema da conferência ministrada pelo padre Euder Daniane Canuto Monteiro, diretor do Instituto de Filosofia do Seminário São José. Segundo o padre Euder, neste momento de pandemia é natural se pensar em temas ligados à saúde e às possibilidades de seguir oferecendo uma formação integral à pessoa.

“Devo ressaltar que a definição de saúde para a Organização Mundial de Saúde contempla a idéia de ‘um estado de completo bem-estar físico, mental e social’ e, por conseguinte, já aí se percebe a dimensão mais integral da compreensão de saúde. A essa definição podemos acrescentar, sobretudo, sob o aspecto da nossa tradição teológico-bíblica, o tema do bem-estar também espiritual uma vez que, quando falamos em saúde, no seu sentido etimológico, nos remetemos a soter, em grego, e a salus, em latim, que podem ser traduzidos tanto por ‘aquele que cura’ como por ‘aquele que salva’ (salvador). Daí que se tratássemos só do tema da saúde poderíamos e deveríamos pensar na pessoa segundo sua constituição ontológica fundamental, a saber, corpo, alma e espírito e, ainda, considere-se a sua condição de se tratar de um ser social (zoonpolitikon).  Neste sentido, a meu ver, esse seminário ‘Filosofia e Saúde’ é muito importante porque nos ajuda a aprofundar como pensar uma formação da pessoa que considere o seu aspecto constitutivo fundamental de modo que possamos trabalhar juntos para promover uma visão mais integradora do ser humano, que corrobore com um desenvolvimento de cada pessoa na direção de sua realização, de sua plenificação, como inclusive é a proposta oriunda do conceito alemão de formação (Bildung)”, disse.

Intitulado “Filosofia e Saúde”, o seminário reveste-se em importância menos pelos entrecruzamentos tornados possíveis nesse momento entre os dois campos e mais pelas possibilidades por ele abertas de oferecer uma aproximação interdisciplinar do tema mais caro a esse ano, a pandemia de Covid-19 que, no caso brasileiro, já se alastra desde fins de fevereiro e, hoje, alcança números exorbitantes de mais de cem mil mortos segundo dados oficiais do Ministério da Saúde. Muito embora haja sempre aquela dificuldade de falar no calor dos acontecimentos – lembrando aquela máxima hegeliana de que a ave de Minerva só levanta voo ao cair da tarde – o problema que se nos manifesta nos é sempre presente – respeitando outra máxima hegeliana, a de que a filosofia é sempre filosofia do presente. No final das contas, é sempre esse mesmo presente que é por nós habitados. Enfim, se trata de atentar para a urgência de uma elaboração como essa urgência tal que, por um lado, excede amplamente as capacidades particulares de elaboração de indivíduos e áreas, implicando, portanto, na exigência de um duplo reconhecimento: das nossas limitações materiais e teóricas e das potencialidades dos outros em nos fornecer múltiplos olhares, igualmente profundos e sofisticados que nos permita elaborar algo da complexidade de nossa experiência pandêmica presente”, salientou o professor da Faculdade Dom Luciano, Maurício.

Para a psicóloga Lidiane Valle, que participou do Seminário no sábado, as instituições de ensino que abrem espaços para discussões de temas atuais preparam seus alunos não só tecnicamente, mas, também proporciona formação humana e cultural. “Participar de um evento com discussões tão engrandecedoras contando com a presença de alunos e professores de alto nível foi um grande aprendizado. Manhã memorável”, disse.

Romualdo Dias que participará como conferencista dia 24 afirma: “o programa está muito bem elaborado e os temas escolhidos são provocadores e dignos de um verdadeiro seminário de Filosofia. Olha aí, Minas Gerais dando continuidade ao ‘grito dos inconfidentes’ em um modo ousado de fazer filosofia a partir do alto de nossas montanhas! Tudo isso é muito bonito e animador! Nestes tempos tão marcados por extrema desolação, a gente poder participar deste seminário, é motivo de entusiasmo e de aposta na nossa condição de invenção de um mundo mais justo, mais humano e mais alegre!”.

A programação do evento é online, oferecida pela plataforma Microsoft Teams, e conta com conferências de professores da Faculdade Dom Luciano, professores de outras instituições do Brasil e também do exterior, conforme se pode ver na programação abaixo.

Confira a programação completa 

Agenda