segunda-feira

, 22 de abril de 2024

Seminário São José realiza retiro espiritual do primeiro semestre de 2023

03 de março de 2023 Arquidiocese

Entre os dias 23 e 26 de fevereiro, o Seminário São José realizou o retiro espiritual do primeiro semestre das comunidades do Propedêutico, do Discipulado (estudos filosóficos) e da Configuração (Teologia). Eles tiveram a orientação, respectivamente, do Padre Fernando Paulo, do Monsenhor Danival Milagres e Padre Hugo Barcelos, CM.

Comunidade do Propedêutico

Etapa do Propedêutico.

Realizado na Casa das Irmãs Vitorianas, em Barbacena (MG), à ocasião, Padre Fernando Paulo orientou os seminaristas integrantes do Propedêutico a refletir sobre o caminho vocacional de cada um. Através do silêncio, foi proporcionado momentos de contemplação, onde é possível falar com Deus, e ir além disso, escutar o que Deus tem para falar no coração de cada um.

Os participantes voltaram ao ponto de partida, ao momento em que sentiram pela primeira vez a inquietação difícil de explicar, o chamado de Deus, o desejo de segui-lo. Aprenderam a estar a sós com Deus, vislumbraram a ação da graça divina na vida de cada um e a importância da missão, de colocar os pés a caminho, e estarem próximos do povo de Deus, como motiva o tema do 3º Ano Vocacional do Brasil: “Vocação: graça e missão”.

O seminarista do Propedêutico, Elias Luis Pacheco Filho, natural da Paróquia Nossa Senhora da Conceição em Senador Firmino (MG), descreveu a sua experiência em seu primeiro retiro no seminário como um momento de escuta a Deus, de recordação do chamado vocacional, bem como das pessoas que fizeram parte da história dele. “Me incentivou a cultivar no coração a espiritualidade e a perseverança diante das alegrias e dificuldades que encontro na caminhada vocacional. Foi um momento propício para discernir minha vocação e aprofundar nos mistérios de Cristo”, disse.

Etapa do Discipulado

Etapa do Discipulado.

Retirados na Casa de Teologia do Seminário São José, em Mariana (MG), e guiados pelo Monsenhor Danival, os seminaristas da Etapa do Discipulado meditaram de modo a serem gratos a Deus pela vida e também a se reconhecerem como pescadores e filhos amados por Deus. A partir dessas reflexões, eles foram chamados a perceberem quem são diante do amor de Deus.

Dentro da proposta do retiro, os vocacionados também foram convidados a perceberem as exigências do amor após terem experimentado a misericórdia de Deus, a necessidade de amadurecer a fé e a perceber as exigências do seguimento a Cristo.

O seminarista Rafael Barreto, da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Ouro Preto (MG), definiu o retiro espiritual como oportunidade de colocar-se em intensa intimidade com o Bom Mestre. “Nesse sentido, meus irmãos de comunidade e eu fomos interpelados a procurá-lo ‘enquanto Ele se deixa encontrar’ (Is 55,6). Além disso, nos retiramos em um tempo que já é, de per si, de introspecção e reflexão à luz da fé: a Quaresma; período esse no qual meditamos, de forma especial, o maior mistério de amor do nosso Deus por nós”, apontou.

“Em relação a isso, refletir sobre o quanto somos amados por Ele e o modo imperfeito pelo qual nós correspondemos a tal sentimento, foi, para mim, um ponto marcante da minha oração. Ademais, refletindo o seguimento a Jesus Cristo, pude perceber que o verdadeiro discipulado faz com que ‘transborde’ em nós os sentimentos do próprio Bom Pastor, ultrapassando as barreiras do ‘eu’. Por fim, a experiência deste retiro me fez recordar da frase do Cardeal Văn Thuận: ‘escolher a Deus e não as coisas de Deus’, nessa esperança saio revigorado para bem viver o ano formativo de 2023”, complementou o seminarista Rafael.

Etapa da Configuração

Etapa da Configuração.

Para os seminaristas da Etapa da Configuração, que estiveram retirados na Casa do Discipulado, em Mariana, Padre Hugo Barcelos, CM trouxe a proposta de rezarem os cinco passos propostos pelo Documento de Aparecida: o encontro com Cristo, Conversão, Discipulado, Comunhão e Missão.

Ao longo dos dias, o sacerdote ressaltou que no encontro com o Cristo o que mais importa é a constância e não a intensidade, que a busca da conversão é a busca por encontrar o lugar de cada um na história da salvação e buscar ter os mesmos sentimentos de Cristo. Por fim, Padre Hugo Barcelos, CM frisou que missão não é fazer, mas ser, no sentido que é preciso transmitir a fé professada com a vida, relembrando o que ensinava São Francisco de Assis: “pregue o Evangelho a todo tempo, se necessário use palavras”.

A partir dessa proposta, o seminarista Ronan Prata, da Paróquia Sant’Ana em Abre Campo (MG), sintetizou o momento como “uma experiência profunda de encontro com Deus”. “Precisamos estar dispostos a ouvir sua voz e, com certeza, Ele fala. Foi uma oportunidade de renovar as forças para prosseguir na missão. Todo cristão precisa de um momento assim. Só tenho a agradecer a Deus por sua ação e ao Padre Hugo pela condução do retiro”, enfatizou.

Texto e fotos: Comunicação do Seminário São José

Agenda