sexta-feira

, 19 de agosto de 2022

Seminaristas da Etapa do Discipulado realizam doação de sangue

01 de julho de 2022 Arquidiocese

Nesta quarta-feira, 29 de junho, os seminaristas da Etapa do Discipulado/Comunidade de Filosofia do Seminário São José, da Arquidiocese de Mariana, em um gesto de solidariedade, compareceram ao banco de sangue Vita Hemoterapia Ltda, em Belo Horizonte (MG), para realizar a doação de sangue.

Após ser lançada uma campanha de doação de sangue em prol do Padre Glauber Rodrigo Passos Lacerda, membro do Clero Marianense, um grupo de quinze seminaristas tiveram a iniciativa de realizar a doação como uma maneira de se fazer próximo do sacerdote, que se encontra hospitalizado no momento, além de incentivar este gesto a todos aqueles que podem e estão aptos a doar.

Segundo informações do Ministério da Saúde, “a doação de sangue é um gesto solidário de doar uma pequena quantidade do próprio sangue para salvar a vida de pessoas que se submetem a tratamentos e intervenções médicas de grande porte e complexidade, como transfusões, transplantes, procedimentos oncológicos e cirurgias”.

Sabendo a importância do sangue, que é insubstituível, sempre é tempo de colaborar, independentemente de parentesco entre o doador e quem receberá a doação, criando a cultura solidária de doações regulares e espontâneas para que os bancos de sangue estejam sempre abastecidos.

Depoimentos

Aqueles que doam testemunham a grandeza deste gesto e incentivam a todos a se tornarem doadores. Para o seminarista Diêgo Almeida, ter doado sangue pela primeira vez foi uma experiência muito boa e gratificante. “Para mim, esse é um gesto concreto de amor ao próximo. Muito mais que doar o nosso sangue, salvamos vidas. Sendo assim, me sinto motivado a repetir várias vezes esse gesto e também incentivar as pessoas para que façam o mesmo”, afirmou.

Já o seminarista Vitor Alves, que está no segundo ano de formação, resumiu a sua experiência como um ato de solidariedade, especialmente, por parte da comunidade com o Padre Glauber. “Para mim, foi uma experiência inexplicável, pois é um gesto de amor ao próximo”, concluiu, pontuando que esse era um desejo que tinha há muito tempo.

Ao realizar a sua terceira doação, o seminarista Róbinson Anjos relatou ser esta uma experiência única, fazendo bem para quem doa e para quem recebe. Vale ressaltar que, conforme informações do Ministério da Saúde, cada doação realizada pode salvar até quatro vidas.

Ainda de acordo com o seminarista Róbinson, há no início do procedimento de doação medo e insegurança, mas tudo isso desaparece rapidamente ao chegar ao hemocentro e deparar com pessoas tão atenciosas e bem preparadas para realização, tranquilizando o doador. “Para mim é um gesto que demora apenas alguns minutos; para o meu próximo é um gesto que vale a vida”, enfatizou, incentivando outras pessoas a também doarem.

Quem pode doar?

Doar sangue é um ato voluntário que faz bem para quem doa para quem recebe. É um processo simples, rápido e seguro, que pode ajudar a salvar muitas vidas. Segundo o Hemominas, estão aptas a doarem pessoas em boas condições de saúde que tenham entre 16 e 69 anos e pesem mais de 50 kg. Ainda, é preciso estar bem descansado no momento da doação, estar alimentado e apresentar documento original e oficial com foto.

Candidatos à doação de sangue que foram infectados pelo coronavírus, ficam inaptos a doar por 30 dias. Já os que tiveram contato com pessoas que tiveram Covid-19 estão inaptos pelo período de 14 dias, após o último contato com essas pessoas. Confira todas as restrições e condições AQUI

Procure um Hemocentro mais próximo de você e seja também um doador de sangue. Para agendar sua doação, CLIQUE AQUI

Texto: Seminarista Rodrigo de Paula Bertolin da Etapa do discipulado

Foto: Seminaristas/Divulgação

Agenda