quarta-feira

, 29 de maio de 2024

Sereno e Firme: Lyrio e Rocha

28 de julho de 2023 Arquidiocese

Ficam para sempre gravados em nossos corações os mais justos sentimentos de gratidão a Dom Geraldo Lyrio Rocha, 13º bispo e 5º Arcebispo de Mariana (2007-2018). Seu amor à liturgia e profundo conhecimento a respeito deste tema, não se deve apenas à especialização feita em Roma, mas algo inerente ao seu Ministério.

Um Mestre dos saberes e fidalgo Professor que, com profundos conhecimentos, fez da liturgia o carro chefe de seus ininterruptos ensinamentos. Por ocasião da instalação do Regional Leste III da CNBB, em Vitória, enquanto os Bispos seguiam em direção ao altar daquela Missa, ao passarem no corredor em frente as salas de aula daquele Instituto, alguém disse: “Dom Geraldo Lyrio, atualmente Emérito, poderia lecionar aqui.” Ao que interpôs Dom Walmor Oliveira de Azevedo: “Dom Geraldo não precisa ir para uma sala de aula para ensinar, pois cada vez que ele fala, dele recebemos magistrais ensinamentos!”. Em sua última Liturgia das Horas, o testemunho do Padre D’Artanghan Barcelos de Almeida confirma seu perfil: “Sim. Até o fim, o mesmo Dom Geraldo com quem tivemos a alegria de conviver por 11 anos, em Mariana. Com uma fineza ímpar, agradecendo aos médicos, enfermeiros, outros colaboradores e a mim por cada pequeno favor que lhe fazíamos. E, com educação e carinho, ainda na última oração litúrgica que fizemos juntos, as Vésperas de São Tiago, retirando a máscara de oxigênio para me “orientar” a não rezar “amém” no Pai Nosso das Vésperas (eu havia rezado um “Amém” fervoroso).

Mas essas não foram as suas últimas palavras inteligíveis. Quando ele começou a agravar, vieram médicos e enfermeiros, para examiná-lo, virar na cama etc. Ele, bastante ofegante, com a voz fraquinha dizia: “o padre, o padre”. Eu me aproximei dele e perguntei com voz forte, para despertá-lo: “o que o senhor quer?” Ele me respondeu: “não quero nada, só quero que você fique aqui comigo”. Jamais me esquecerei…”

Dom Geraldo nasceu em Fundão (ES), em 14 de março de 1942. Foi batizado em 27 de setembro de 1942, pelo Padre Luiz Gonzaga Parenzi. Ingressou no Seminário Nossa Senhora da Penha, em Vitória (ES), em 1954, onde realizou o Curso Colegial, tendo sido aluno do Colégio Salesiano.

Em 1960, matriculou-se no Seminário Provincial do Coração Eucarístico de Jesus, em Belo Horizonte (MG), onde cursou Filosofia. Obteve a Licenciatura em Filosofia na Faculdade Dom Bosco – São João del Rei (MG).

Em 1963 seguiu para Roma, onde se tornou mestre em Filosofia pela Pontifícia Universidade de Santo Tomás de Aquino. Cursou Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana e Especialização em Liturgia pelo Pontifício Instituto Santo Anselmo.

Em 15 de agosto de 1967, foi ordenado Presbítero em sua terra natal, Fundão (ES). No dia 14 de março de 1984, foi eleito Bispo pelo Papa João Paulo II, sendo ordenado em 31 de maio do mesmo ano, em Vitória (ES).

Foi nomeado Arcebispo Metropolitano de Mariana pelo Papa Bento XVI em 11 de abril de 2007, tendo tomado posse canônica em 23 de junho do mesmo ano. Aos 75 anos, em 2018, teve o seu pedido de renúncia aceito pelo Papa Francisco e tornou-se Arcebispo Emérito.

Nestes 5 anos como Emérito, continuou devotado ao serviço de Cristo e de Sua Igreja, fazendo jus ao seu lema Episcopal: “Faze a Obra de um Evangelista”. Além de contribuir na recente revisão da tradução do Missal Romano, ministrou cursos e orientou retiros espirituais para o clero em várias Dioceses, incluindo este último gesto Missionário, se deslocando até Altamira, no Estado do Pará, onde completou sua jornada nesta existência temporal, com o mesmo perfil que sempre o caracterizou: SERENO E FIRME: LYRIO E ROCHA!

Texto: Padre Paulo Dionê Quintão/Pároco de Santa Rita de Cássia, em Viçosa – MG