terça-feira

, 28 de maio de 2024

Sexta-Feira da Paixão: contemplação à cruz e ao Cristo crucificado marcam Ação Litúrgica

03 de abril de 2021 Arquidiocese

Silêncio, oração e adoração ao Cristo crucificado marcaram a celebração da Paixão e Morte de Jesus Cristo nesta sexta (02). Em Mariana, a Ação Litúrgica da Sexta-Feira Santa foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Mariana, Dom Airton José dos Santos, e concelebrada pelo Cônego Nedson Pereira de Assis e pelos padres Marcelo Moreira Santiago e Luiz Roberto de Souza. 

“Sem Cristo não há Igreja. Sem Cristo não há Sacramento. Sem Cristo não há nada que o ser humano possa fazer para apresentar-se a Deus e para apresentar Deus à humanidade. Cristo é a luz que veio para este mundo. Jesus Cristo, nosso Senhor, é o caminho, a verdade e a vida. Ele é quem nos conduz ao Pai; sem Jesus não podemos chegar ao Pai”, afirmou Dom Airton ao explicar que a Sexta-Feira da Paixão é o único dia em que a Igreja Católica não celebra Missas e nenhum dos Sacramentos.

“Nosso Senhor não veio para condenar o mundo, mas para salvá-lo”, destacou o Arcebispo ao recordar todo o sofrimento imposto a Jesus para nossa salvação. “Diante do Crucificado encontramos a razão última da nossa esperança: o amor que Cristo deixou transparecer por todos, por cada um dos seres humanos, ao entregar a sua vida na cruz. Foi por amor que Cristo morreu pregado na cruz. Não foi por interesse econômico, político ou  ideológico; não foi por fazer-se melhor do que os outros, nem para ter fama, mas foi por amor às pessoas e aos que mais sofrem. Amor que teve a força de mantê-lo firme e decidido no propósito de entregar a sua vida”, enfatizou Dom Airton.

Após a homilia, Cônego Nedson e o Arcebispo Metropolitano de Mariana rezaram a Oração Universal. Neste ano, uma prece em especial foi incluída por todas as vítimas da Covid-19 e pelo fim da pandemia. 

Adoração à Cruz

Neste ano, um dos momentos mais marcantes para os fiéis durante a Ação Litúrgica da Sexta-Feira da Paixão, a adoração à Cruz, aconteceu de forma restrita, sem o rito do beijo. À ocasião, celebrantes e auxiliares do altar presentes veneraram a Cruz sem tocá-la. 

Sermão do Descendimento

Já à noite, na Igreja de São Pedro dos Clérigos, em Mariana, Dom Airton participou do Sermão do Descendimento da Cruz, proferido pelo padre Euder Daniane Canuto Monteiro. Em seu sermão, o sacerdote ressaltou que, mesmo diante da dor e do sofrimento da morte de cruz, Jesus concedeu seu perdão aos que o crucificaram. “Ele perdoa também a nós que muitas vezes o crucificamos novamente por causa de nossos pecados, nossos erros e até mesmo por sermos, muitas vezes, motivos de tristeza e desespero para os nossos irmãos”, disse padre Euder destacando que tudo em Jesus Cristo nos leva à salvação.