quarta-feira

, 29 de maio de 2024

Último dia do Tríduo Preparatório para a beatificação é marcado por partilhas sobre a jovem Isabel Cristina

09 de dezembro de 2022

O último dia do Tríduo Preparatório para a Beatificação de Isabel Cristina, na noite desta sexta-feira, 09 de dezembro, foi marcado por partilhas sobre a Serva de Deus. Em celebração presidida pelo Bispo Diocesano de São João del-Rei (MG), Dom José Eudes Campos do Nascimento, e concelebrada pelo Bispo Diocesano de Paracatu (MG), Dom Jorge Alves Bezerra, e pelo Pároco e Reitor do Santuário, Monsenhor Danival Milagres Coelho.

Ainda, a Celebração Eucarística contou com a presença de padres, diáconos e seminaristas sacerdotes advindos das Dioceses de Salgueiros (PE), Caratinga (MG), São João da Boa Vista (SP) e da Arquidiocese de Mariana. Convidados a meditar sobre o processo de beatificação de Isabel Cristina, tema proposto para o último dia em preparação à cerimônia, a Santa Missa foi um momento oportuno para ouvir testemunhos sobre a Mártir. 

Dom José Eudes

Iniciando a sua pregação convidando os presentes a cantarem o refrão do hino da futura Beata, Dom José Eudes, que é natural de Barbacena (MG), recordou que a sua mãe e o pai da Mártir são primos de primeiro grau, além de ele ter trabalhado no mesmo curso pré-vestibular que a jovem Isabel Cristina frequentou. “Eu convivi com Isabel Cristina; esse fato marcante da minha vida”, disse emocionado. 

Em sua homilia, Dom Eudes contou que em sua Diocese, a de São João del-Rei, ele tem frisado sobre a vida de Isabel Cristina, contando nas celebrações sobre ela e convidando-os a conhecer a sua história. “É uma bênção muito grande para a nossa cidade de Barbacena (MG), para a Igreja do Brasil e o mundo inteiro, termos Isabel Cristina como grande exemplo para a nossa juventude”, salientou. 

O Bispo de São João del-Rei ainda lembrou que na fase conclusiva do processo no âmbito arquidiocesano, ocorrido em 1º de setembro de 2009, ele também esteve presente e ajudou a carregar os restos mortais da Mártir para a capela, no Santuário Arquidiocesano de Nossa Senhora da Piedade, em que estavam. 

“No dia que o Santo Padre reconheceu o martírio dessa jovem, eu aqui vim concelebrar com Dom Airton e ele e o Diácono Prado me deram a relíquia para que eu pudesse levá-la. Então, é um momento marcante para a minha vida poder ter conhecido essa jovem Isabel Cristina e essa grande celebração de amanhã é um marco para a nossa Igreja. Tenho insistindo e repito que a nossa juventude siga o exemplo dessa jovem, Isabel Cristina”, destacou Dom José Eudes.

Amor à causa

Dom Jorge

Encerrando sua reflexão, Dom José Eudes concedeu a palavra a Dom Jorge para que ele também pudesse compartilhar o seu amor à causa da beatificação de Isabel Cristina. Segundo o prelado, só dá testemunho do Evangelho, da Palavra e da Eucaristia, quem se deixa moldar por eles. 

“Isabel Cristina Mrad Campos deu testemunho da Palavra, notadamente o primeiro [‘Amar a Deus sobre todas as coisas’] e o sexto [‘Não pecar contra a castidade’] mandamentos da Lei de Deus. Por viver radicalmente o primeiro mandamento, ela foi capaz de testemunhar e defender o sexto mandamento: guardou a castidade, pagou com o preço da sua vida, a defesa desse tesouro precioso”, declarou o Bispo de Paracatu. 

Citando que Isabel Cristina foi assassinada há 40 anos, Dom Jorge afirmou que a Mártir a ajudou em seu itinerário vocacional. “Minha Diocese fica a cerca de 700 Km daqui ou um pouco mais, mas ainda que fosse o triplo da distância eu viria, porque creio no valor pelo qual ela deu a vida; e nós que estamos aqui, estamos celebrando a vitória de Deus na vida de Isabel Cristina Mrad Campos”, enfatizou. 

Ao fim da homilia, pregada pelos dois bispos, os fiéis presentes aplaudiram as palavras proferidas por eles.

Para acompanhar a celebração de beatificação de Isabel Cristina, a partir das 10h, acesse: 

Fotos: Thalia Gonçalves

VEJA TAMBÉM