segunda-feira

, 28 de setembro de 2020

Um ano de falecimento do jovem vocacionado José Fernando

14 de setembro de 2020

Neste dia da Exaltação da Santa Cruz, a arquidiocese celebra um ano da Páscoa do jovem vocacionado José Fernando da Costa Miranda. Neste sentido, o Grupo de Orientação Vocacional recomenda a todos as orações, e aos sacerdotes que incluam o nome do José Fernando nas intenções das missas, em suas comunidades. A família participará da celebração eucarística que será realizada na Matriz de São Sebastião, em Conselheiro Lafaiete, às 19h.

José Fernando da Costa Miranda nasceu em Conselheiro Lafaiete, no dia 13 de janeiro de 2002. Filho de Fernando Tavares de Miranda e Edinéia de Lourdes de Miranda, ele pertencia à paróquia São Sebastião. José Fernando ingressou no Grupo de Orientação Vocacional (GOV), após a semana vocacional, em janeiro de 2017. Após fazer a experiência da comunidade interna, estudando no Colégio Vicentino Providência em Mariana, discerniu juntamente com a equipe dos formadores em continuar o processo, no ano de 2019 no GOV externo. Ele iniciou seu tratamento no Hospital das Clínicas em abril do ano passado, realizando quimioterapias para eliminação de um tumor na perna. Em consequência deste tratamento, ele foi diagnosticado com uma infecção generalizada, chegando a óbito, na tarde de 14 de setembro de 2019, em Belo Horizonte.

A seguir, apresentamos um relato de testemunho de um dos seus colegas do Seminário, o jovem Samuel Malta.

Testemunho: vivências com José Fernando

Nos conhecemos no início de 2017 durante a semana vocacional. Inicialmente, não tinha em mente o que era estar no seminário muito menos estar no Colégio Providência, mas ao chegar encontrei o José que tinha um maior conhecimento sobre que era estar no seminário. Então, desde aquele momento, percebi que havia algo de diferente naquele jovem. Após o término daquela semana, decidimos que entraríamos juntos para a comunidade interna com o propósito de um sempre ajudar o outro e estar sempre juntos seja nos momentos ruis ou bons. Porém, diante das primeiras provas que surgiram não conseguimos ajudar muito um ao outro, mas ele sempre me dizia: “ – Não perca a esperança porque se Deus te trouxe até aqui, você triunfará. Faça sua parte que ele fara a dele.”

Era perceptível em seu rosto a alegria de estar no seminário, e principalmente o cuidado que tinha em preparar e cuidar da capela. Ele buscava sempre ajudar quem precisasse e dificilmente ficava triste ou com raiva de alguma coisa. Tinha muita facilidade em cultivar e conquistar novas amizades pelo seu jeito alegre de ser e de se fazer presente. Nunca buscava ajudar os outros ou fazer as coisas para se mostrar ou ser melhor do que os outros, mas simplesmente porque gostava. Segundo ele, “essa é a vontade de Deus em minha vida assim como Maria minha mãe disse sim a Deus quero também dar a ele esse sim por mais que isso custe as minhas vontades” era forte e muito me inspirou a sua vida de oração onde nos momentos mais difíceis buscava estar sempre pedindo o auxílio de Deus. José não se deixava abater facilmente pelas dificuldades e provas que eram a ele apresentadas, e sobretudo nos momento alegres uma vez que eu não tinha sequer uma vida constante de oração em relação a isso e tantas outras coisas como trabalhar sempre com alegria e pela sua forte devoção a Santa Rita de Cássia dizia que como ela, por mais humilhante que fosse o trabalho, ele sempre o faria sem reclamar.

Diante disso, vejo que ele me ensinou valores e aprendizados para a minha vida principalmente cristã, ou seja, como ser sempre sereno porque assim como já dizia faça sua parte que Deus fará a dele; fato que ele mostrou até os seus últimos momentos entre nós: “Eu só quero fazer a vontade de Deus em minha vida”. Devo todo esse ensinamento, sinceramente, ao José, que me ensinou não somente com palavras, mas também por meio de suas atitudes, com seu jeito de ser e estar presente.

VEJA TAMBÉM