quinta-feira

, 26 de maio de 2022

Artigo de Dom Airton José dos Santos
O sexto arcebispo de Mariana, Dom Airton José dos Santos nasceu na cidade de Bom Repouso, no Sul de Minas Gerais, no dia 25 de junho de 1956, primeiro dos sete filhos do casal José Julião dos Santos e Benedita Vieira da Fonseca. Após o Papa Francisco aceitar a renuncia ao governo pastoral da Arquidiocese de Mariana, apresentada por Dom Geraldo Lyrio Rocha, tendo completado 75 anos, Dom Airton foi nomeado arcebispo desta Igreja particular no dia 25 de abril de 2018. Sua posse canônica foi realizada no dia 23 de junho de 2018.

Mensagem de Dom Airton para a Quaresma 2022

03 de março de 2022 Palavra do Arcebispo

MENSAGEM PARA QUARESMA  — 2022

Ao Revmo. Clero, às Paróquias com suas Comunidades, às Famílias Religiosas, à todas as forças vivas do nosso laicato e a cada um em particular! Saudação, paz e bênção, no Senhor!

Amados Irmãos, iniciamos, com toda a Igreja, o tempo da quaresma, nesta Quarta-feira de Cinzas. No Brasil, foi feita a abertura da Campanha Fraternidade, pela CNBB; em nossa Arquidiocese, também fizemos. Agora, neste Primeiro Domingo da Quaresma, faremos a abertura da Campanha da Fraternidade, em todas as nossas Paróquias.

A Quaresma é tempo de penitência, de busca constante do Senhor e de conversão; é tempo de aprofundarmos e vivenciarmos, com maior empenho o mandamento do amor ao próximo, expressos nas três atitudes a serem desenvolvidas por cada um de nós, neste período, a oração, o jejum e a esmola

Neste ano de 2022 devemos continuar com os cuidados para nos proteger e proteger nossos irmãos, pois a pandemia, e suas consequências, ainda não cessou. Contudo, retornando, aos poucos nosso ritmo na vida cristã, vamos nos preparar para celebrar o mistério pascal.

Lembremos que o Tempo da Quaresma, tendo início hoje, quarta-feira de cinzas e finalizando antes da Missa da Ceia do Senhor na quinta-feira Santa, nos preparará, pela liturgia e sua catequese, pela meditação assídua da Palavra de Deus, pela penitência e pela oração, a nos transformarmos em mulheres e homens novos para a glória de Deus Pai.

Para nos ajudar na caminhada quaresmal, neste ano de 2022, vamos seguir a orientação dos Pastores da Igreja, em nosso país, que nos coloca diante do tema da “Fraternidade e Educação”. Para iluminar este tema temos a passagem bíblica tirada do Livro de Provérbios: “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Pr 31,26) que é o lema da Campanha.

A Campanha da Fraternidade tem objetivos que são permanentes. São eles: 1) Despertar o espírito comunitário e cristão no povo de Deus, comprometendo, em particular, os cristãos na busca do bem comum; 2) Educar para a vida em fraternidade, a partir da justiça e do amor, exigência central do Evangelho e 3) Renovar a consciência da responsabilidade de todos pela ação da Igreja na evangelização, na promoção humana, em vista de uma sociedade justa e solidária. Lembrando que todos nós temos o dever de evangelizar e de sustentar a ação evangelizadora e libertadora da Igreja

Para este ano de 2022, a Campanha da Fraternidade, tem como objetivo, nos ajudar a: 1) Analisar o contexto da educação na cultura atual, e seus desafios potencializados pela pandemia; 2) Verificar o impacto das políticas públicas na educação; 3) Identificar valores e referências da Palavra de Deus e da Tradição cristã em vista de uma educação humanizadora na perspectiva do Reino de Deus; 4) Pensar o papel da família, da comunidade de e da sociedade no processo educativo, com a colaboração dos educadores e das instituições de ensino; 5) Incentivar propostas educativas que, enraizadas no EVangelho, promovam a dignidade humana, a experiência do transcendente, a cultura do encontro e o cuidado com a casa comum; 6) Estimular a organização do serviço pastoral junto a escolas, universidades, centros comunitários e outros espaços educativos, em especial das instituições católicas de ensino; 7) Promover uma educação comprometida com novas formas de economia, de política e de progresso verdadeiramente a serviço da vida humana, em especial, dos mais pobres.

A vivência dos compromissos, acima elencados, para nós católicos se apresentam na perspectiva do Serviço da Caridade, do Testemunho da que professamos. Por isso, devem ser vistos e praticados, à luz da Palavra de Deus e do ensinamento da Igreja. De modo especial, eles possibilitam vivermos intensamente as atitudes próprias do tempo da Quaresma, a saber: a Vida de Oração; a prática do Jejum e a Esmola que ofertamos.

Como expressão destes três gestos, como Igreja, realizamos uma coleta no final dos exercícios quaresmais, no Domingo de Ramos. É nossa atitude, como membros da mesma Igreja de Cristo, como fruto de nossa penitência quaresmal e destinada à missão da Igreja.

Além disso, a Igreja nos pede que, na Sexta-feira Santa, colaboremos com uma doação que vem do coração, para sustentar a realização das obras de evangelização e missão, nos lugares Santos, na terra onde viveu Nosso Senhor Jesus Cristo. Em nossa Arquidiocese, orientamos que esta coleta para os Lugares Santos, seja realizada na Sexta-feira Santa, onde houver ou for possível, ou seja realizada no Domingo da Páscoa, Ressurreição do Senhor.

A exemplo da viúva do Evangelho, todas as doações que fazemos, na Igreja, devem brotar de nosso coração generoso. É uma atitude religiosa e não um pagamento ou contribuição.

Que este tempo da quaresma seja favorável a todos nós! Que aprendamos, sempre mais, a viver como irmãos, responsáveis uns pelos outros. Que neste tempo, tenhamos a disposição de ajudar as pessoas mais carentes e necessitadas. Que nosso testemunho seja fraterno e dialogal para acolher a todos e caminhar unidos buscando a Verdade que é Jesus Cristo, Caminho e Vida.

A todos os Diocesanos, uma saudação de paz em Cristo, com uma especial bênção, particularmente às crianças, aos enfermos e idosos.

A todos, meus votos de frutuosa participação e vivência quaresmal!

 

De Mariana, aos dois dias do mês de março, do Ano do Senhor, de dois mil e vinte e dois, quarta-feira de cinzas.

 

Dom Airton José dos Santos

Arcebispo Metropolitano de Mariana

Confira Mais Artigos de Dom Airton José dos Santos