terça-feira

, 27 de fevereiro de 2024

Clero Marianense participa de retiro

05 de julho de 2022 Arquidiocese

A primeira semana de julho está sendo marcada por momentos de oração e reflexão para o Clero Marianense que desde esta segunda-feira, dia 04, está reunido no Instituto de Teologia do Seminário São José para o seu retiro anual. Ao todo, 60 pessoas, entre padres e diáconos permanentes, estão participando do encontro. 

Assim como na primeira edição, realizada em fevereiro deste ano em Borda do Campo, no município de Antônio Carlos (MG), o pregador do retiro é o Arcebispo Metropolitano, Dom Airton José dos Santos. Ainda, a programação contempla a realização de Celebrações Eucarísticas, Laudes, momento mariano, Adoração ao Santíssimo, celebração penitencial e oração pessoal.

Conforme o Representante Arquidiocesano dos Presbíteros, Padre Mauro Lúcio de Carvalho, a proposta do retiro é “nos confrontar com a Palavra de Deus, fortalecendo a missão presbiteral e diaconal na perspectiva da Sinodalidade, conforme nos motiva o Papa Francisco”. 

“O nosso retiro anual objetiva o reavivamento do nosso chamado ao seguimento de Jesus Cristo, o fortalecimento da fé e da comunhão presbiteral. O retiro é um Oásis no exercício do ministério que a Igreja nos confia. Em tempos de pandemia, é um remédio que nos previne contra o vírus do isolamento e da comodidade da margem”, destaca o sacerdote.

Por sua vez, o Coordenador Arquidiocesano de Pastoral, Padre José Geraldo de Oliveira, ressalta que o encontro é uma ocasião para os integrantes do Clero rezarem juntos, meditarem sobre a Palavra de Deus, a fim de fortalecer a espiritualidade e a fraternidade entre eles. 

“O retiro tem sempre esse objetivo de ser esse momento de parada e de reflexão para nós. […] É um momento de graça e de bênçãos que Deus concede a nós, padres e diáconos, para pararmos um pouco, refletirmos e reabastecermos-nos para podermos continuar a nossa caminhada”, afirma Padre José Geraldo.

Esperança

Após um longo período de restrições em razão da pandemia, o primeiro dia do retiro foi marcado pela alegria do reencontro. “A pandemia da Covid-19 nos afastou por um bom tempo. Agora, com a ajuda da ciência e com os cuidados necessários, higienização e uso de máscara, podemos nos reencontrar. O tempo é de graça e nossa esperança é de viver esses dias abertos à ação do Espírito Santo e neste clima sinodal que vive a Igreja”, pontua Padre Mauro.

Celebração da Santa Missa durante o primeiro dia do retiro. Foto: Pe. Sérgio José da Silva