domingo

, 03 de julho de 2022

Encerrada a fase arquidiocesana de escuta do Sínodo, veja quais são os próximos passos que serão dados

10 de junho de 2022

No último dia 30 de maio, chegou ao fim a fase arquidiocesana de escuta do Sínodo. Entretanto, essa é somente a primeira das várias etapas do caminho sinodal a ser percorrido até outubro de 2023, quando acontecerá, em Roma, a 16ª Assembleia Geral Ordinária dos Sínodo dos Bispos.

Segundo o Contato Arquidiocesano Sinodal, Leci Nascimento, encerrado esse processo, já é possível perceber os sinais positivos da escuta nesta Igreja Particular. “Mesmo em um tempo curto, por causa das celebrações da Semana Santa, houve um grande comprometimento das paróquias. Acredita-se que a grande maioria fez o processo de escuta. Além das paróquias, tivemos também as participações do Seminário São José, das religiosas e religiosos, de várias expressões da juventude, leigos afastados e as respostas do questionário on-line”, conta.

Na avaliação de Leci, “o Sínodo não vai trazer novidades, mas uma retomada, de forma mais concreta, das experiências já vividas”. Por sua vez, a Representante Leiga da Região Mariana Sul na Equipe Arquidiocesana de Animação para o Sínodo, Magda de Fátima Oliveira, afirma que foi possível perceber um bom envolvimento das pessoas no processo, resultando em partilhas ricas.

Quem também compartilha suas impressões sobre essa etapa é a Representante das Religiosas na Equipe, Irmã Arlene Fonseca Simões. Conforme seu relato, nas paróquias de São Pedro e São Paulo, Nossa Senhora de Fátima e São Pio X, em Barbacena (MG), onde ela colaborou na fase de escuta, “houve um número significativo de lideranças entusiasmadas a passar para frente o que a Igreja  traz como modo de mudança, reflexão e ação”. 

Já em relação aos religiosos e religiosas presentes no território da Arquidiocese de Mariana, Irmã Arlene pontua que foi recebida uma devolutiva muito boa. “Ficamos felizes com o resultado das escutas em comunidades”, comenta.

Próximos passos

Finalizada essa etapa, as Equipes de Animação para o Sínodo nas Regiões Pastorais da Arquidiocese de Mariana, assim como os demais grupos de escuta, estão realizando os resumos das respostas obtidas. Esses materiais deverão ser encaminhados à Equipe Arquidiocesana de Animação para o Sínodo que será responsável por elaborar a síntese arquidiocesana. 

O Contato Arquidiocesano Sinodal, Padre Edmar José da Silva, explica que, seguindo as orientações realizadas pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), ela deve ser feita do seguinte modo: 

  • Introdução: contendo a metodologia usada no processo de escuta; 
  • Corpo: contendo as respostas das duas questões principais propostas;
  • Conclusão: contendo as ações que o Espírito Santo suscita para que cada pessoa possa crescer na Sinodalidade.

“Lembramos que a síntese não é o ponto final do processo sinodal na (Arqui)Diocese, mas uma comunicação de tal processo, que também ajude a vislumbrar possibilidades futuras advindas de tal experiência sinodal. É importante, portanto, que a síntese seja objetiva, mas abranja a diversidade de opiniões e vozes expressas. Também é interessante recordar que a síntese visa colher e expressar os frutos do processo sinodal de modo que sejam compreensíveis mesmo àqueles que não participaram dele, indicando como o chamamento do Espírito Santo para a Igreja foi compreendido no contexto local”, destaca trecho das recomendações da CNBB.

Apresentação 

Finalizado esse resumo, além de ser enviado à entidade até 31 de julho, ele será apresentado em uma Reunião Pré-Sinodal que, conforme deliberado pelo Conselho Arquidiocesano de Pastoral (CAP) em sua última reunião, será realizada em 23 de julho, a partir das 9h, no Colégio Arquidiocesano, em Ouro Preto (MG).

De acordo com Padre Edmar, serão convidados para participar desse evento os integrantes da Equipe Arquidiocesana de Animação para o Sínodo, os membros do CAP e uma pessoa de cada paróquia, de preferência, alguém que tenha feito parte da equipe de escuta paroquial.

VEJA TAMBÉM