terça-feira

, 16 de agosto de 2022

MAB envia jovens em missão do Paraopeba ao Rio Doce

16 de setembro de 2021 Arquidiocese

Aconteceu nesta terça-feira (14) o envio de Olívia e Pedro, jovens militantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) que, após um ano de preparação, fazem sua transição da bacia do Paraopeba para a bacia do Rio Doce. A cerimônia ocorreu no salão da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Congonhas (MG), e contou com a presença de organizações parceiras do movimento como a Igreja, a Pastoral Operária, sindicatos, entre outros. 

À ocasião, Regina, mãe de Pedro, destacou a dedicação do casal à organização do povo e sua especial sensibilidade aos empobrecidos. Os jovens viajarão na próxima segunda-feira, dia 20 de setembro, a Ipatinga (MG), região do Vale do Aço, onde irão morar. De acordo com o vigário paroquial da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição em Congonhas, padre Antônio Claret Fernandes, a missão deles é, juntamente com mais dois militantes, coordenar os trabalhos do MAB em área do médio Rio Doce, que vai desde Itabira (MG) a Aimorés (MG), na divisa com o Espírito Santo, englobando em torno de 15 municípios.

“Esse deslocamento de militantes, prática comum nos movimentos populares, está inserido no contexto desafiante do crime da Samarco, BHP Billiton e Vale. O rompimento da barragem de rejeito de Fundão, em Mariana (MG), matou 20 pessoas e deixou um rastro de destruição na bacia do Rio Doce. Sem reparação até hoje, após seis anos, famílias atingidas continuam sem casa, sem os meios de subsistência e adoecendo, devido à contaminação com metais pesados e aos traumas de perda da história e da memória”, afirma padre Claret.

O sacerdote ainda pontua que “Congonhas, município drasticamente atingido pela exploração minerária, com imensa dívida social, 23 barragens de rejeito e pelo menos 5 mil pessoas em área de risco, acabou se tornando ponto irradiador do MAB no Alto Paraopeba”. Por essa razão, o MAB pretende enviar, por ano, dois jovens em missão para outras regiões de Minas Gerais e do Brasil. 

Texto: Colaboração do pe. Antônio Claret Fernandes

Imagens: Arquivo do Pe. Paulo Barbosa

Veja também: 

Entidades elaboram nota pública em defesa das matrizes de danos dos atingidos pelo rompimento da barragem de Fundão

Agenda