terça-feira

, 23 de abril de 2024

Memorial Beata Isabel Cristina é inaugurado em Barbacena

15 de dezembro de 2022

Foto: Thalia Gonçalves

“Nunca desista diante de dificuldades que a vida nos fornece às vezes” (Isabel Cristina). Essa é uma das frases estampadas na parede de vidro da entrada do Memorial Beata Isabel Cristina, que está aberto à visitação desde o último domingo, 11 de dezembro, em Barbacena (MG), onde foi inaugurado pela Arquidiocese de Mariana, em comunhão com a Paróquia Nossa Senhora da Piedade, logo após a Santa Missa em Ação de Graças pela jovem que foi martirizada no dia 1º de setembro de 1982, aos 20 anos de idade. 

O Memorial Isabel Cristina traz uma nostalgia da trajetória de vida e religiosa da Beata, por meio de fotos, recortes de jornais, cartas, roupas, registros escolares e objetos que estavam guardados há 40 anos sob a guarda da Paróquia da Nossa Senhora da Piedade. 

É importante destacar que a montagem e a organização desse espaço foi realizada pela aposentada e devota, Ana Lúcia Monteiro Oliveira, e pelo  jornalista e também devoto, Márcio Cleber da Silva Costa, sob a coordenação do Diretor do Memorial, o Diácono Antônio Rodrigues do Prado, que realizaram a leitura de livros e documentos sobre história de Isabel Cristina e cuidaram de cada detalhe para que as lembranças e características da jovem fossem contadas de forma concisa. 

Dom Airton e Dom Geraldo inaugurando o memorial. Foto: Luiz Felipe

Segundo Ana Lúcia, o processo de idealização e construção do Memorial começou logo quando anunciaram a beatificação dela, quando o Monsenhor Danival pediu que a equipe providenciasse o local e o Diácono Prado entregou à equipe os pertences da Beata. 

“Era uma caixa enorme, cheia de caixas de livro. Quando chegamos e nos deparamos com aquela quantidade de material ficamos sem saber por onde começava. Mas foi tudo muito gratificante, porque, aos pouquinhos, fomos descobrindo e começamos a situar o início da vida dela. Era interessante os caderninhos dela, a gente se deparava com os pensamentos marcantes. Ela tinha o hábito de escrever nos caderninhos os pensamentos, mensagens e a gente vivia muito aquilo. Ela gostava muito de borboletas, tem até no diário dela uma borboleta e uma mensagem maravilhosa. Quando deparamos com os brinquedos, eu amei. Tudo era uma emoção muito grande para mim”, relatou. 

Ana Lúcia ainda destacou a dedicação de Isabel Cristina pelos estudos. “Ela estudava, era muito cuidadosa e eu observei muito que ela era uma menina econômica, todo papelzinho de propaganda ela rascunhava atrás; ela estudava aproveitando os papeizinhos. Então, a gente via que ela era uma menina que tinha notas boas, de vez em quando acontecia de não ter uma nota muito favorável, igual acontece com todo estudante, mas a gente via que ela tinha responsabilidade de cumprir o dever dela como estudante”, explicou.  

Um dos destaques do Memorial são os painéis com matérias jornalísticas publicadas ao longo dos anos, desde o assassinato de Isabel Cristina ao processo de beatificação. Conforme o jornalista Márcio Cleber, ele fez questão de destacar no Memorial todas as reportagens que detalham o “processo jurídico, daquele que provocou a tragédia”. 

Márcio Cleber ajudou a organizar os recortes de jornais nos painéis. Foto: Thalia Gonçalves

“Um fato muito importante, muito interessante são as reportagens dela, que também foram coletadas e guardadas, reportagens que contam todo o processo jurídico, daquele que provocou essa tragédia e também a primeira reportagem de Padre Cifani, que já se cogitava o estudo de Isabel Cristina a ser santa. A partir do momento que ele cogitou e ele divulgou, não parou-se mais o estudo e hoje nós temos a Beata Isabel Cristina”, explicou

De acordo com o Arquiteto Urbanista de Barbacena, Ricardo José Sad Fonseca, responsável pelo projeto do Memorial e da capela Isabel Cristina, relatou que o projeto das salas do Memorial foi pensado de forma que a arquitetura representasse a força e a importância de Isabel Cristina para a história, além de buscar referências em outros espaços de modo que trouxesse também a sofisticação e delicadeza que a Mártir merece.

Ricardo ainda contou que todo o acervo da Beata foi catalogado pelo Diácono Prado, pelo Márcio e pela Ana Lúcia, que realizaram a curadoria do material. “A partir disso eu comecei a fazer uma análise do que seria interessante estar exposto, o que faria com que as pessoas ficassem cativadas e não fosse uma coisa monótona. Por isso, durante a exposição, você vê peças pessoais, roupas, fotografias, coisas que eram características de hobby dela, as partes de poesias, a parte de escritas dela que eram refinadas e muito ricas também”, detalhou. 

Na inauguração do Memorial Beata Isabel Cristina estiveram presentes religiosos, leigos, autoridades da Igreja, familiares e amigos da jovem mártir. Como é o caso do vicentino, Carlos Eduardo Vital, que teve a honra de conhecer Isabel Cristina. 

Foto: Thalia Gonçalves

“A nossa ligação é através da Sociedade São Vicente de Paulo, onde eu sou vicentino há 52 anos, então tinha uma ligação muito grande com os pais dela, o Confrade José Mendes, a mãe Dona Helena e o irmão Paulo Roberto. Eu era jovem na época, a gente participava de encontros de jovens, eu era um dos coordenadores daqueles encontros, alguns deles ela participou comigo e a gente participava daquela vida vicentina. Ela era uma menina muito recatada, muito católica e participava com a gente desses encontros de jovens vicentinos”, lembrou. 

O Arcebispo Emérito de Mariana, Dom Geraldo Lyrio Rocha, também visitou o Memorial e disse que o espaço vai ajudar a “manter viva a chama da Santidade”. “O Memorial está belíssimo. Parabéns aos que projetaram essa maravilha, que conta uma história com fidelidade aos fatos, mas apontando também para o sentido que eles têm, que, para nós que temos fé, ultrapassam aquilo apenas que os olhos enxergam. Sem dúvida, vai ajudar manter viva a chama da santidade. O Memorial todo mostra que se trata de uma pessoa verdadeiramente santa e que viveu à comunhão com Deus de um modo tão bonito e tão sublime até o ponto de dar a própria vida na fidelidade a Jesus Cristo e a seu evangelho”, destacou. 

Familiares de Isabel Cristina também estiveram presentes no Memorial, como é o caso da Maria das Graças Mrad Losqui, tia da Beata, que ficou emocionada e encantada com o local. “Lindo, lindo e lindo. Só uma pena, não deu para gente ler, está sendo muito rápido, porque está sendo muito visitado. Mas vou vir aqui com calma para ver passo a passo. Tem coisas que eu já vi quando ela era menor, mas tem cartas que eu ainda não conhecia”, apontou

O Memorial Beata Isabel Cristina está aberto ao público, de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, no Centro de Barbacena, ao lado da Capela da Beata Isabel Cristina, que também estará aberta todos os dias nesse mês de dezembro, com missa às 12h. 

*Erramos: essa matéria foi atualizada em 15/12/2022 às 19h11

Veja também:

Isabel Cristina é a nova Beata da Igreja

Beatificação de Isabel Cristina: “Respeito da dignidade das mulheres”, afirma Cardeal Dom Raymundo Damasceno

Confira a imagem oficial da Beata Isabel Cristina

Papa Francisco recorda a beatificação de Isabel Cristina

Beatificação de Isabel Cristina “é um não que a Igreja pronuncia ao feminicídio”, afirma Dom Geraldo Lyrio Rocha

Fiéis que conheceram a Beata Isabel Cristina e que alcançaram graças por intercessão dela compartilham suas histórias

No Domingo da Alegria, Arquidiocese de Mariana festeja a Beatificação de Isabel Cristina

Agenda

VEJA TAMBÉM