sábado

, 25 de maio de 2024

Primeira igreja de Mariana é reaberta após restauração

30 de abril de 2024 Arquidiocese

Apontada por muitas pessoas como a primeira igreja de Mariana (MG) e, possivelmente, de Minas Gerais, a Capela Santo Antônio está com as portas abertas. Fechada para restauro desde o final de 2021, a sua reabertura é um marco para a vivência de fé da comunidade local.

A capela foi entregue à população em cerimônia realizada na última terça-feira, 23 de abril. À ocasião, estiveram presentes o Arcebispo Metropolitano, Dom Airton José dos Santos, o Pároco e Reitor da Catedral, Padre Geraldo Dias Buziani, bem como moradores do Bairro Santo Antônio, autoridades civis e políticas do poder público municipal e representantes de órgãos federais.

Durante o evento, Dom Airton frisou que o maior patrimônio são os batizados, sendo eles “pedras vivas da Igreja”, responsáveis por manter o templo. Na sua fala, o Arcebispo Metropolitano de Mariana ainda chamou a atenção para o fato que a capela é, em primeiro lugar, um patrimônio religioso, não artístico ou cultural.

Segundo ele, os homens e mulheres não a construíram para ser uma obra de arte, mas coube ao tempo torná-la artística e histórica. “Não eram artistas [que a fizeram]; eram pessoas do povo. E fizeram por quê? Para ter um lugar para prestar o culto a Deus. Esse é o grande objetivo”, ressaltou.

Fazendo uma memória histórica, Dom Airton recordou que as primeiras dioceses brasileiras foram criadas nos litorais, sendo a de Mariana a primeira no interior do país. Assim como a diocese, conforme estudiosos, a Capela Santo Antônio é, provavelmente, a primeira do estado de Minas Gerais, tendo sua localidade como entrada para a cidade naquele tempo.

Ao fim do discurso, Dom Airton agradeceu a todas as autoridades presentes e representadas estendendo seu agradecimento a todos que participaram das obras de restauração, em especial, as pessoas do bairro Santo Antônio que zelaram e cuidaram dela todos esses anos.

A Coordenadora do PAC Cidades Históricas de Mariana, Anna de Grammont, em sua fala expressou o contexto de alegria e emoção que é  vê inaugurada a capela, destacando o número de profissionais envolvidos para o trabalho ser finalizado. O projeto da Capela Santo Antônio contemplou toda a estrutura do templo, incluindo, telhado, parte elétrica, hidráulica, proteção contra incêndios, bem como o largo envolta da Capela onde vai ter uma praça para a comunidade.

Conforme a Prefeitura Municipal de Mariana, a verba para custear as intervenções foi obtida com apoio do Fundo de Direitos Difusos (FDD), do Ministério da Justiça, tendo sido investido R$ 1,3 milhão. Já o projeto foi elaborado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), por meio do Programa de Aceleração do Crescimento de Cidades Históricas (PAC – Cidades Históricas), no valor R$ 100 mil.

Emocionando a todos os presentes com o cântico da ladainha de Santo Antônio, a moradora da comunidade, Ingrid Ribeiro, contou em entrevista que iniciou seu caminho na fé por meio do canto na Capela local, destacando a importância de ver o templo reaberto.

Primeira missa

Celebração da primeira missa após reabertura.

Após a reinauguração, aconteceu no sábado, 27 de abril, a primeira missa presidida pelo Padre Geraldo Dias Buziani. Na ocasião, ele aspergiu todo o espaço da capela e do seu adro com água benta e, a comunhão, realizou a entronização do Santíssimo Sacramento no Sacrário.

Durante a celebração, também foi lançada a campanha para a restauração da imagem de Santo Antônio, o padroeiro da capela e da comunidade. Os interessados em contribuir podem entrar em contato com o escritório paroquial pelo número (31) 3557-1216.

As celebrações do setor Santo Antônio seguem acontecendo no Salão Comunitário no primeiro e segundo sábado de cada mês. Na Capela, as celebrações acontecerão no terceiro e quarto sábado.

Sobre a Capela Santo Antônio

Com o início de sua construção datada no fim do século XVII, a Capela pertence à Paróquia Nossa Senhora da Assunção (Catedral de Mariana) e está localizada no bairro de mesmo nome. Foi no local que, em 1696, bandeirantes paulistas chegaram na região e que teria sido celebrada a primeira missa em Mariana, em 16 de julho daquele ano.

Fotos: Pedro Henrique Hudson/Pascom Catedral de Mariana