quinta-feira

, 18 de abril de 2024

33º Encontro de Presbíteros e Diáconos da Arquidiocese de Mariana refletiu sobre a temática do 3º Ano Vocacional

10 de março de 2023

Com o tema “Vocação: graça, missão e comunhão”, o Clero Marianense participou dos dias 06 a 09 de março do 33º Encontro de Presbíteros e Diáconos da Arquidiocese de Mariana. Realizado no Retiro das Rosas, em Cachoeira do Campo (MG), o evento contou com a presença de 174 membros do presbitério local, incluindo dos sacerdotes que estão em missão em outras Igrejas Particulares: Alex Martins de Freitas, José Geraldo Magela Vidal e D’Artagnan de Almeida Barcelos. À oportunidade, o Bispo Diocesano de São João del Rei (MG) e Filho de Mariana, Dom José Eudes Campos do Nascimento, também realizou uma visita ao evento.

Ao longo dos quatro dias de encontro, os padres e diáconos presentes vivenciaram de momentos de oração, partilha, confraternização e trabalhos em grupos, sendo refletindo da temática central proposta para essa edição: vocação e missão. Ainda, todos os dias, aconteceu a celebração da Santa Missa, sendo a do último dia, 09 de março, em ação de graças pelo ministério dos neossacerdotes, ordenados em 19 de novembro de 2021: Jonhy Sales de Figueiredo Dias, Pedro Hugo Alves Talin, Róbson da Cunha Chagas, Vitor Nogueira de Campos e Wesley Pires dos Santos.

Para Padre Wesley, que presidiu a celebração desta quinta-feira, “a experiência de participar do Encontro do Clero pela primeira vez como padre e de presidir a Missa do último dia é a de se sentir entre irmãos, muito acolhido, membro desse presbitério, que tem uma história tão rica e tão bela. Sinto que o projeto de Jesus faz de nós todos irmãos, vivendo a comunhão em busca da unidade”.

Padres ordenados em 2021 presidiram a celebração do último dia do encontro.

Na avaliação do Representante Arquidiocesano dos Presbíteros, Padre Mauro Lúcio de Carvalho, as trocas entre os presentes foram satisfatórias. “Houve excelência na interação entre os participantes, nos debates em grupos, nos momentos de lazer e nas Celebrações Eucarísticas. Era possível notar a alegria deles, o clima de fraternidade, de acolhida e de abertura ao aprendizado”, disse.

“Obviamente que nenhum evento humano é totalmente perfeito. O encontro teve suas lacunas. Nenhum trabalho grupal tem 100% de aprovação; há os que aprovam e há os que ficam insatisfeitos com o modo de conduzi-lo, o que é extremamente normal. Inclusive, a psicologia de grupo ajuda a entender essas reações. Acho que é bom sair do Encontro com um certo grau de insatisfação, isso nos movimenta em direção ao aprimoramento”, considerou Padre Mauro.

A opinião também é compartilhada pelo Representante dos Diáconos Permanentes da Arquidiocese de Mariana, Diácono Sebastião Góes Pereira. “Cada Encontro tem seu jeito próprio de nos unir e nos levar a discutir os assuntos propostos. Valorizo cada momento que posso participar e vejo com muito bom agrado as questões colocadas. O 33º Encontro do Clero se me apresentou como um dos melhores, haja vista o tema ‘Vocação: Graça, Missão e Comunhão’ apresentar por si só um reagendamento do ministério que assumi”, partilhou.

Parabenizando as discussões feitas e o trabalho dos organizadores do evento, o Diácono Sebastião ainda lamentou não ter tido um número maior de presença dos diáconos permanentes devido a questões particulares de cada. Neste ano, 15 dos 35 diáconos da Arquidiocese de Mariana estiveram reunidos com os presbíteros ao longo dos quatro dias. “Como Representante dos Diáconos, só tenho a agradecer por esta oportunidade singular oferecida aos membros do Clero”, frisou.

“Vocação: graça, missão e comunhão”

Em sintonia com o 3º Ano Vocacional, segundo Padre Mauro Lúcio, a 33ª edição do Encontro de Presbíteros e Diáconos teve como objetivo contemplar a vocação como graça de Deus que supõe a resposta e o esforço humano. “As reflexões ressaltaram que a missão assumida pelos clérigos só atinge o seu objetivo na unidade e na fraternidade. Não é possível exercer a missão que a Igreja nos confia no isolamento.  De fato, a sinodalidade é uma estratégia evangélica para o bem da Igreja, do povo de Deus, dos presbíteros e diáconos”, expôs.

Por sua vez, o Promotor Vocacional da Arquidiocese, Padre Rosemar Marcos Condé, destacou que a temática do Encontro do Clero veio com o propósito de ajudar a refletir e aprofundar a missão que é de todo cristão e, de modo mais exigente, dos padres, em serem todos animadores vocacionais.

“O testemunho de um padre feliz e motivado vocacionalmente é capaz de animar uma paróquia inteira. Por isso, juntos, nestes dias, aprofundamos essa motivação da Igreja no Brasil que, ao nos propor o 3º Ano Vocacional, nos quer animados para animar novas vocações na Igreja, reafirmando o batismo, como fonte de todas as vocações”, analisou Padre Rosemar.

De acordo com o Promotor Vocacional da Arquidiocese, a partir das sugestões apresentadas, durante o Encontro, o Seminário São José e os religiosos e religiosas motivaram aos participantes a abraçarem a missão vocacional que será realizada em junho e novembro deste ano. Para isso, foram disponibilizadas as datas para que as paróquias possam aderir à iniciativa, bem como sugerido que cada paróquia incremente atividades ao longo de 2023 com a temática do Ano Vocacional: “Vocação: graça e missão” e “Corações ardentes, pés a caminho” (cf. Lc 24, 32-33).

“Como promotor vocacional, estou à disposição das paróquias para visitar, celebrar e reunir com as lideranças para que conseguimos dar passos na criação das Equipes Vocacionais Paroquiais (EVPs)”, enfatizou Padre Rosemar.

Partilhas sobre o evento

Em missão na Arquidiocese de Porto Velho desde 2021, Padre Alex Martins afirmou que estar no Encontro anual dos Presbíteros e Diáconos da Arquidiocese foi, para ele, motivo de grande alegria. “Primeiro porque pude revisitar aquela que me gestou para o Ministério sacerdotal: nossa querida Arquidiocese de Mariana. Em segundo lugar, pelo fato de estar entre irmãos no presbitério. Rever os irmãos no ministério, partilhar das alegrias e angústias da missão, rezarmos juntos, tomar a refeição juntos, desfrutar de momentos de lazer juntos, tudo isso me faz sentir o nosso presbitério como uma grande família. A importância está justamente em perceber sempre mais que não estou sozinho, faço parte de uma família, que na diversidade de seus membros, dons e carismas, faz a evangelização avançar em nossa Arquidiocese e além dela”, comentou.

Conforme Padre Alex, a partir das discussões ocorridas ao longo dos quatro dias é possível ressaltar que “somos padres por graça e misericórdia de Deus, não por méritos nossos”. “Aquele que nos chamou também nos envia para missão, e Ele é fiel. A missão não é nossa, somos humildes colaboradores na messe do Senhor. Em meio as dificuldades e frustrações próprias da vida presbiteral não podemos nos deixar vencer pelo desânimo e pela tibieza, mas proclamar com o apóstolo Paulo: eu sei em quem depositei a minha esperança, Naquele que me amou e por mim se entregou na Cruz”, explicou.

Falando a sua experiência missionária, Padre Alex ponderou que a importância em colocar-se em missão é compreender que o sacerdócio é para o serviço à Igreja. “Somos padres para ir aonde à Igreja necessitar de nossa presença. Isso implica abertura e disponibilidade para sair de si mesmo, dos seus projetos pessoais, de suas idealizações, despojamento e disposição. E aqui está, a meu ver, o grande desafio. Não somos padres para realizar os nossos sonhos, mas para realizar a vontade Daquele que nos chamou e nos envia para a missão. É claro que a missão além fronteiras não deve ser uma imposição de fora, imposta pelo bispo. Pelo contrário, precisa ser discernida interiormente a partir dos apelos do Senhor, da realidade que nos interpela e do movimento do Espírito Santo em nós que nos aponta o caminho da missão”, salientou.

“O Encontro de Presbíteros e Diáconos de 2023, a meu ver, foi marcado por momentos de fé e de comunhão entre todo o Clero”, analisou o Diácono Ronei Ferreira, da Paróquia Santo Antônio, em Ouro Branco (MG). “Como Diácono Permanente, eu afirmo que esse momento foi de grande valor espiritual e também pessoal, nos trazendo a reflexão sobre a importância do caminhar junto e de estarmos nos reencantando, cada dia mais, a serviço do Reino de Deus. Assim também cuidando de cada um de nós, em particular, e cuidando uns dos outros para que possamos também cuidar do Povo de Deus. Esse Encontro, entre os vários momentos, me fez também agradecer pelo quanto sou feliz pela minha vocação”, disse o ministro ordenado.

Na perspectiva do Padre Mauro Lúcio, o “Encontro ressaltou a humanidade do Clero, a necessidade de acolhermos e cuidarmos dos nossos afetos e ressignificarmos as frustrações, presente em todas as vocações”. “Saio do encontro muito feliz. Valeu a pena todo o trabalho do Conselho Presbiteral, especialmente dos Representantes dos Presbíteros, que se reuniram várias vezes, presencial e online, para preparar este evento. O Encontro me reconectou com o meu ministério sacerdotal, com os irmãos e com Deus. Volto animado e esperançoso; a missão é árdua, mas não estou sozinho”, complementou.

Fotos: Pe. Edir Martins e Pe. Wesley Santos

Veja como foram os demais dias do Encontro:

Tem início o 33º Encontro de Presbíteros e Diáconos da Arquidiocese de Mariana

3º dia do Encontro de Presbíteros e Diáconos é aberto com a missa em ação de graças pelos sacerdotes jubilandos em 2023

Agenda

VEJA TAMBÉM