terça-feira

, 18 de junho de 2024

Conselho Arquidiocesano de Pastoral reflete sobre o Jubileu da Esperança

29 de maio de 2024 Arquidiocese

O Jubileu da Esperança 2025 foi tema da segunda reunião de 2024 do Conselho Arquidiocesano de Pastoral (CAP). O encontro, realizado na última sexta-feira, 24 de maio, em Mariana (MG), contou com a presença de 39 pessoas, incluindo a do Arcebispo Metropolitano, Dom Airton José dos Santos.

Jubileu 2025

Leci Nascimento apresentou aos presentes sobre o Jubileu da Esperança.

Preparando para viver o grande momento de graças, durante a reunião, Leci Nascimento explicou para os presentes sobre o que é o Jubileu da Esperança 2025 e as ações previstas. Em janeiro deste ano, ela foi a delegada da Arquidiocese de Mariana no Encontro Nacional “Preparando o Jubileu 2025”, promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Para ela, ao trazer essa temática, o Pontífice olha para a atualidade em que a esperança está minada diante de tragédias climáticas, guerras, etc. e as pessoas estão ansiosas.

“Na bula que foi proclamada, na solenidade da Ascensão do Senhor, o Papa Francisco fala algo muito interessante: ‘a todos quando lerem esta Carta, que a esperança lhes encha o coração’, que é o que nós precisamos. […] Então, é isso que ele quer: levar esperança para corações tão aflitos por tudo que vem acontecendo no mundo de hoje”, reforçou Leci.

Diante disso, a Contato Arquidiocesano Sinodal apontou, em entrevista, três sugestões para alimentar a esperança na perspectiva da fé: o estudo, especialmente, das constituições apostólicas do Concílio Vaticano II, a vivência intensa do “Ano da Oração” e ver os sinais do tempo. “Tem sinais dos tempos que nos assusta, mas nós temos sinais que alegra e enche o nosso coração de esperança também, por exemplo, os momentos de religiosidade das nossas paróquias. Como são bonitos!”, comentou.

O percurso até a abertura da Porta Santa

Para o Jubileu de 2025, o Papa Francisco propôs dois momentos de preparação: em 2023, com o estudo dos documentos do Concílio Vaticano II; e, em 2024, com o “Ano da Oração”. De acordo com Leci, com o “Ano da Oração”, o desejo do Santo Padre é que se viva uma grande “sinfonia” de oração, ou seja, uma harmonia de muitos movimentos que levem as pessoas a orar.

“Lembrando que a oração vai ter momentos que nós vamos rezar, mas nós temos que lembrar o que a própria palavra nos mostra: rezar e agir; orar e [ter] também ação. Uma oração que vai nos levar a mudar o nosso jeito de ser”, detalhou.

Realizado a cada 25 anos, o último Jubileu Ordinário ocorreu em 2000, durante o papado de São João Paulo II, em um contexto marcado pelos temores relacionados à chegada do novo milênio. Na sua colocação, Leci reforçou que é preciso que as pessoas compreendam melhor o que é o Ano Santo, sendo refletindo nas paróquias e comunidades.

Grupos discutiram sobre sugestões para o Jubileu e a Assembleia Arquidiocesana de Pastoral.

Dessa forma, durante o encontro, os membros do CAP foram convidados a, em grupos, pensarem propostas para a vivência do Jubileu da Esperança na Arquidiocese de Mariana. Uma recomendação importante foi que, não se crie novas iniciativas, mas repensar as já existentes e utilizá-las.

Algumas das sugestões apresentadas foram trabalhar essa temática nas festas dos padroeiros nas paróquias e comunidades e promover alguns Jubileus Arquidiocesanos a partir de eventos que já acontecessem anualmente como Encontro de Mulheres, Romaria dos Trabalhadores e Trabalhadoras, Semana Nacional da Família e Dia Nacional da Juventude.

31ª Assembleia Arquidiocesana de Pastoral

Padre José Geraldo apresentou sobre a Assembleia.

Outro assunto em discussão foi a 31ª Assembleia Arquidiocesana de Pastoral, prevista para acontecer nos dias 27 e 28 de setembro. Neste ano, o evento tem como objetivo avaliar a aplicação do Projeto Arquidiocesano de Evangelização (PAE).

Segundo o Coordenador Arquidiocesano de Pastoral, Padre José Geraldo de Oliveira, como a 30ª Assembleia teve como prioridade a implementação do PAE, para esta edição, o foco é ouvir primeiro as bases sobre como tem sido esse processo. “Nós vamos começar ouvindo as comunidades, as paróquias, as foranias, regiões, até chegar à Assembleia Arquidiocesana de Pastoral”, explicou.

Roteiros de reflexão abordaram sobre o Concílio Vaticano II

Padre Paulo Barbosa apresentou o roteiro do mês de julho.

Conforme sugerido pelo Papa Francisco em preparação ao Jubileu 2025 e discutido na reunião do CAP de fevereiro, sobre como tornar o Concílio Ecumênico Vaticano II mais conhecido, a partir do segundo semestre os roteiros dos Grupos de Reflexão abordaram essa temática.

Em julho, será discutido o que foi o Concílio e suas finalidades. Já de agosto a novembro, serão abordadas as quatro constituições: Dei Verbum, Lumen Gentium, Sacrosanctum Concilium e Gaudium et Spes. Além disso, pretende-se realizar, em cada mês, lives sobre os temas do roteiro de reflexão.

Já em dezembro, a Novena de Natal trará como tema o Jubileu da Esperança.

Conheça os documentos conciliares em: www.vatican.va/archive/hist_councils/ii_vatican_council/index_po.htm

Acolhida dos novos membros

O Arcebispo Metropolitano de Mariana, Dom Airton José dos Santos, também esteve presente.

Uma novidade nesse encontro foi a presença das coordenações do Apostolado da Oração e da Pastoral Afro-Brasileira que, a partir da data, estão representados no Conselho.

Para o Diretor Espiritual do Apostolado da Oração, Padre Euder Daniane Canuto Monteiro, a presença do serviço pontíficio no CAP significa o reconhecimento da Arquidiocese de Mariana da sua presença concreta nas bases da comunidade de fé e sua importância na ação pastoral da Igreja.

“Trata-se, pois, de perceber a necessidade de reconhecer e integrar ainda mais na ação pastoral da Arquidiocese de Mariana essa Rede Mundial de Oração do Papa que se encontra presente na quase totalidade de nossas paróquias”, afirmou Padre Euder.

Na oportunidade, também foi acolhido no CAP o Padre Wesley Pires dos Santos como novo Assessor Arquidiocesano da Pastoral Juvenil.

Texto e fotos: Thalia Gonçalves/Arquidiocese de Mariana

Leia também:

Jubileu 2025: conheça a bula de proclamação do Ano Santo e como obter indulgência plenária