terça-feira

, 16 de agosto de 2022

Conselho Arquidiocesano de Pastoral volta a se reunir presencialmente

06 de abril de 2022 Arquidiocese

Após dois anos, o Conselho Arquidiocesano de Pastoral (CAP) se reuniu presencialmente pela primeira vez desde o início da pandemia no último sábado, dia 02 de abril. O último encontro nesse formato havia sido em 20 de fevereiro de 2020, também no Centro Arquidiocesano de Pastoral, em Mariana (MG). Depois disso, devido às medidas necessárias de prevenção à Covid-19, as atividades do CAP estavam correndo, até então, de modo on-line.

Ao avaliar o encontro, o Arcebispo Metropolitano de Mariana, Dom Airton José dos Santos, destacou suas perspectivas para os trabalhos do Conselho neste ano.

“A primeira coisa importante é que os membros do CAP estejam animados para ajudar a Arquidiocese no caminho que ela tem que fazer porque a missão é dela. Não é de cada pessoa, de cada trabalho ou pastoral; é da Igreja toda. Então, pensando nisso, que os membros do CAP tenham essa disposição. A segunda é que façamos as coisas no espírito [Sinodal] que o Papa Francisco quer para todos nós. A Igreja deve caminhar junto, no sentido de fazer a estrada em comum, em conjunto, para dar um testemunho convincente de que é possível, em um mundo cheio de divisões, polarizações, ódio e até vingança, trilharmos o caminho partilhando as responsabilidades e as dificuldades que temos, nos ajudando mutuamente. Então, são essas as expectativas e inspirações que nós todos precisaríamos de ter”, pontuou Dom Airton.

Conduzindo a reunião do CAP pela primeira vez desde que assumiu a função de Coordenador Arquidiocesano de Pastoral, Padre José Geraldo de Oliveira destacou a presença e participação de praticamente todos os membros do Conselho. “Foi muito bom podermos conversar, encontrarmos-nos e rever todo o grupo depois de um longo tempo afastados por causa da pandemia. Enfim, foi um momento muito bom para a retomada dos nossos trabalhos na Arquidiocese neste período de quase pós-pandemia”, disse.

Ainda de acordo com ele, para 2022, espera-se rever no CAP as normas de funcionamento dos Conselhos Arquidiocesanos, bem como as estruturas das foranias, regiões e pastorais da Igreja Particular de Mariana. Segundo Padre José Geraldo, a finalidade é que elas “sejam mais leves e, assim, a gente possa evangelizar melhor”, explicou.

Por sua vez, a Secretária Arquidiocesana de Pastoral, Édina da Silva Marciano, descreveu a retomada das atividades presenciais do CAP como animadoras e esperançosas. “A primeira palavra que me vem é ânimo porque a gente vem de um processo muito duro. A gente perdeu muitas pastorais neste período [de pandemia], muitas ficaram pelo caminho, [com] dificuldades de se desenvolver e do novo — que nós também enfrentamos”, descreveu.

Recordando as dificuldades iniciais com as reuniões virtuais e como no começo todos pensaram que seriam por pouco tempo, para Édina, os encontros presenciais são diferentes. “Eu sinto que o pessoal traz um apoio maior, um alento maior. Esse estar, olhar nos olhos faz muita diferença. E para o crescimento pastoral também”, destacou.

Por fim, Édina ressaltou que presencialmente se escuta melhor os próprios membros do Conselho. “Acho que a gente trabalha, colocando na prática da nossa vivência diária, esse trabalho de evangelização que a gente leva para as comunidades. É isso que faz sentido e que torna esse fluxo mais fácil, que torna essa prática árdua e que chega verdadeiramente ao coração do outro. […] Esse reencontro é uma forma de esperança e que a gente estava esperando muito. Então, é alegria total”, opinou.

ACESSE MAIS FOTOS DO ENCONTRO AQUI

Veja também:

CAP realiza sua primeira reunião de 2022; veja os principais assuntos tratados

Em entrevista, Padre José Geraldo fala sobre suas expectativas como Coordenador Arquidiocesano de Pastoral

Agenda