sábado

, 13 de abril de 2024

“O padre precisa viver profundamente a sua humanidade, pois ele é humano”, afirma Padre Humberto no Encontro do Clero

28 de fevereiro de 2024 Arquidiocese

O segundo dia do 34º Encontro do Clero, nesta terça-feira, 27 de fevereiro, foi marcado pela continuidade da reflexão sobre o tema do evento “Presbíteros: testemunhas da esperança”.  O encontro está sendo assessorado pelo Padre Humberto Robson de Carvalho, da Arquidiocese de São Paulo (SP), que, mais uma vez, ajudou os presbíteros a refletirem sobre o “homem padre”.

O assessor iniciou a sua explanação perpassando pela encarnação do Verbo, do Deus que se fez homem, carne, habitou entre nós e viveu, assim, humanamente. A exemplo de Jesus Cristo, o padre também deve assumir essa condição e não aviltá-la. “O presbítero quanto mais humano for, mais padre autenticamente o será”, afirmou. Viver a humanidade é uma condição sine qua non (indispensável) para o padre.

Vivendo a sua humanidade de modo integrado e saudável, o presbítero testemunhará essa graça aos paroquianos. “O padre diocesano é convidado a cada vez mais se tornar próximo, de modo que seus paroquianos possam ver e sentir o próprio Deus que está junto do seu povo”, pontuou Padre Humberto. Outra dimensão que humaniza o presbítero é a proximidade com Deus. “A proximidade com Deus não nos distancia da nossa humanidade e do outro, mas qualifica as nossas relações, e aprofunda a nossa relação com o Mestre”, reforçou.

Padre Humberto é o assessor do encontro.

Ainda nessa linha da afetividade nas relações humanas saudáveis, o assessor ressaltou que o padre não pode se tornar anafetivo, ou seja, aquele que não está aberto aos afetos, às relações humanas de cuidado e amor. Para ele, “o padre precisa viver profundamente a sua humanidade, pois ele é humano, e não mais do que isso; não podemos ter medo da nossa humanidade”.

Por fim, ele apresentou a família como o lugar onde aprendem e são formados em humanidade, acentuando, portanto, a importância da família nesse processo de formação basilar. Processo que também deve ser assumido, posteriormente e concomitantemente, pela família comunidade, família seminário, família presbitério e família paroquial.

Padre Humberto ainda destacou o sentido da palavra paróquia que significa lugar da acolhida, da missão, abrigo e proteção, como uma família. A paróquia, portanto, constitui aqueles cuidados pelo sacerdote e, também, por aqueles que cuidam e amam o padre, e todos que lá estão.

Trabalhos em grupo e plenária

Monsenhor Danival, Bispo Auxiliar Eleito de Goiânia, também está presente no encontro.

No período da tarde, os presentes foram distribuídos em pequenos grupos para discutir e partilhar as impressões sobre o tema e apresentar sugestões para se bem viver a dimensão da formação humana. À noite, os grupos apresentaram suas impressões e perspectivas nascidas das discussões nos grupos.

Texto e fotos: Pe. Robson da Cunha Chagas

Veja também:

“Ser presbítero é ser servidor”, afirma Padre Humberto no primeiro dia do Encontro do Clero

Agenda