sábado

, 25 de maio de 2024

Padres do clero marianense participam do 19º Encontro Nacional dos Presbíteros

03 de maio de 2024 Arquidiocese

Padre Mauro Lúcio (à esquerda) e Padre José Raimundo participaram do Encontro Nacional dos Presbíteros. Foto: Arquivo do Padre Mauro Lúcio

Dois sacerdotes do clero marianense participaram dos dias 24 a 30 de abril, em Aparecida (SP), do 19º Encontro Nacional dos Presbíteros (ENP). Estiveram presentes o Padre José Raimundo Alves, Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Porto Firme (MG) e representante da Arquidiocese de Mariana, e o Padre Mauro Lúcio de Carvalho, como delegado da Comissão de Presbíteros do Regional Leste 2.

À luz do tema Presbíteros: Testemunhas da Esperança!” e do lema “Alegres na esperança, perseverantes na tribulação, constantes na oração”, o evento reuniu cerca de 450 sacerdotes brasileiros. A programação contou com reflexões, análises da conjuntura eclesial, celebrações, testemunhos, retiro espiritual e outros momentos oracionais.

Participando pela segunda vez do ENP, Padre José Raimundo descreveu que estar presente no evento foi uma graça, tanto na sua vida pessoal quanto presbiteral. “Acima de tudo, foi uma oportunidade de comunhão com a realidade de presbítero do Brasil inteiro”, disse.

O sentimento também é partilhado pelo Padre Mauro Lúcio. “Participar do 19°ENP foi uma bênção de Deus ao ministério sacerdotal que a Igreja me confiou. Sinto-me mais animado ser padre junto ao Povo de Deus, aos outros padres e ao bispo. As dificuldades continuarão a existir, assim como as alegrias”, descreveu.

Na avaliação do pároco da cidade de Porto Firme, o encontrou melhorou comparado à edição anterior que esteve, o que possibilitou melhor participação e entrosamento entre os sacerdotes presentes.

“A organização do encontro proporcionou uma variedade de experiência muito valiosa. A análise de conjuntura eclesial com Dom Joel Portella Amado foi excelente. Ao mesmo tempo que revela o tamanho do desafio que temos pós-pandemia, também às possibilidades que o presbítero tem de colaborar para uma sociedade justa e fraterna”, contou Padre José Raimundo.

Presbíteros: testemunhas da esperança

Da esquerda para direita: Pe. José Afonso, filho de Cipotânea, pertencente ao clero de Paracatu (MG); Pe. Mauro Lúcio; Pe. José Raimundo; Pe. Gustavo, ex-aluno do Seminário de Mariana e pertencente ao clero de Governador Valadares. Foto: Arquivo do Pe. Mauro Lúcio

No encontro, os sacerdotes presentes refletiram sobre a temática com a ajuda do Padre Humberto Robson de Carvalho, da Arquidiocese de São Paulo (SP), que reforçou que a vida do presbítero e sua missão enraizado na realidade diocese. “A missão do padre diocesano é viver sua diocesaneidade configurado com Cristo, exercendo sua missão com o poder que o próprio Cristo lhe dá”, ponderou Padre José Raimundo.

“Durante o retiro do 19° ENP, [o Bispo Auxiliar de São Paulo], Dom Cícero Alves de França, perguntou-nos: padre, para onde está voltando o seu coração?  E prosseguiu: o coração do padre precisa estar voltando para Jesus Cristo Ressuscitado, pois só assim ele será testemunha da esperança. A pergunta e a afirmação de Dom Cícero confrontaram-me”, partilhou Padre Mauro Lúcio.

Para Padre José Raimundo, durante o retiro espiritual, Dom Cícero “acentuou muito a missão do presbítero com a graça infinita de sua relação com Cristo por meio da Igreja”, comentou. Ele ainda destacou os testemunhos do Padre Zezinho e do Frei Hans: “testemunhos de fé, de esperança e de trabalho em prol da evangelização”.

Representante Arquidiocesano dos Presbíteros, Padre Mauro Lúcio afirmou que retornou à Arquidiocese de Mariana com a missão de cultivar a sua espiritualidade de sacerdote diocesano e ajudar aos irmãos padres a viverem a fraternidade presbiteral, que “nada mais é que ouvir, rezar, alegrar e sofrer juntos, como irmãos”. “Em tempos de hostilidade, o presbítero é chamado a ser testemunha da esperança, contagiando o mundo com a hospitalidade, a fraternidade e a certeza de que Deus nos ama”, afirmou.

“O compromisso que fizemos no final do 19°ENP é cultivar as sementes da fraternidade presbiteral nas respectivas Dioceses. Acredito nesta fraternidade presbiteral, com os pés no chão. Somos profundamente humanos e inteiramente de Deus, identificados com a missão diocesana: cuidar do povo de Deus”, reforçou Padre Mauro Lúcio que também é Presidente da Comissão Regional de Presbíteros (CRP) no Leste 2.

Carta do 19º ENP

Foto: CNBB Nacional

Por ocasião do encerramento do evento, a Comissão Nacional de Presbíteros (CNP) divulgou uma carta sobre o 19º ENP. No texto, os presbíteros do Brasil são convidados a estruturarem a Pastoral Presbiteral como espaço de comunhão, partilha fraterna e ajuda mútua.

Na mensagem, a Comissão ainda anima para o cuidado com a saúde física, psíquica e espiritual, para os padres poderem, com o olhar misericordioso do Bom Pastor, se dirigir aos excluídos e enfermos no corpo e na alma, que anseiam pela caridade generosa dos discípulos de Cristo Jesus.

A mensagem na íntegra pode ser acessada (aqui).

Com informações da CNBB Nacional

Leia também:

Padres que estão no 19º ENP participam da Santa Missa no Santuário Nacional de Aparecida