segunda-feira

, 22 de julho de 2024

Três bispos em seis meses: Monsenhor Edmar é o mais novo filho de Mariana chamado ao episcopado

06 de março de 2024 Arquidiocese

A manhã desta quarta-feira, 6 de março, foi marcada por júbilo na Arquidiocese de Mariana com o chamado de mais um dos seus sacerdotes para o episcopado: Monsenhor Edmar José da Silva, então Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Ouro Preto (MG). Ele é o terceiro padre do clero marianense nomeado bispo nos últimos seis meses.

Conforme costume de celebrar na paróquia do presbítero eleito ao episcopado, o Arcebispo Metropolitano de Mariana, Dom Airton José dos Santos, presidiu, às 7h, a santa missa na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Ouro Preto.

Na ocasião, outros dez padres e um diácono do clero marianense estiveram presentes, além do Bispo Emérito de Oliveira (MG), Dom Francisco Barroso Filho, e o Bispo Auxiliar Eleito de Goiânia (GO), Monsenhor Danival Milagres Coelho. Também participaram da celebração os pais de Monsenhor Edmar, o senhor Divino Luiz da Silva e a senhora Maria Efigênia de Jesus, fiéis e autoridades ouro-pretanas.

Celebração foi realizada às 7h desta quarta-feira.

Durante os ritos finais, no mesmo horário em que a nomeação era publicada no Jornal L’Osservatore Romano do Vaticano, o anúncio da nomeação foi feito por Dom Airton aos presentes, que acolheram a notícia com alegria e saudaram ao Monsenhor Edmar com aplausos.

“Nós nos alegramos porque a Arquidiocese de Mariana nestes últimos seis meses, de outubro para cá, o Santo Padre nomeou três bispos da Arquidiocese de Mariana: Dom Geraldo, para Januária (MG); depois Monsenhor Danival, Bispo Auxiliar para a Arquidiocese de Goiânia (GO); e Padre Edmar, que agora é Monsenhor pelo fato da notícia até a ordenação episcopal”, disse Dom Airton após a leitura da carta de nomeação.

Na oportunidade, Monsenhor Edmar contou aos presentes que recebeu a ligação do Núncio Apostólico do Brasil, Dom Giambattista Diquattro, na manhã da Quarta-Feira de Cinzas deste ano, em 14 de fevereiro, na mesma data em que ele celebrou quatro anos de sua posse canônica na Paróquia Nossa Senhora da Conceição.

A emoção tomou conta de Monsenhor Edmar no momento da leitura da sua carta de nomeação.

Segundo ele, ao receber a notícia de sua indicação ao episcopado e, pensando sobre sua resposta, recordou das palavras do Arcebispo Emérito de Mariana, Dom Geraldo Lyrio Rocha, falecido em julho de 2023.

“Dom Geraldo dizia assim: ‘nunca pedi nada à Igreja, mas tudo o que a Igreja me pediu eu nunca neguei também’. Então, fica essa frase no coração. Depois, fiquei pensando assim: se é chamado de Deus, tem que responder que sim, porque se não fosse para ser, não estaria sendo — a gente sabe disso. Isso também veio no meu coração.

Depois eu pensei: Belo Horizonte.  Eu tenho muita amizade com Dom Geovane que foi bispo auxiliar durante cinco anos e as partilhas que ele fazia a respeito eram muito positivas. Ele amava ser Bispo Auxiliar de Belo Horizonte e, depois, eu tenho amizade com dois bispos auxiliares de muitos anos”, disse.

Em sua fala, Monsenhor Edmar agradeceu à Arquidiocese de Mariana, na pessoa de Dom Airton, por sua caminhada vocacional nesta Igreja Particular.

“Eu vim para Mariana [quando] eu tinha 17 para 18 anos. Hoje, eu tenho 48. São 30 anos convivendo com essa família: oito anos como seminarista e 22 anos como padre. Sou muito feliz junto do clero da nossa Arquidiocese. […] Eu quero agradecer a amizade, as orações, o apoio e a presença, hoje, suas [dos integrantes do clero]. Quero agradecer também às paróquias por onde passei. […] Quero agradecer a todos que foram moldando o meu coração de pastor ao longo desses 22 anos”, disse emocionado.

Monsenhor Edmar recebe os cumprimentos dos presentes.

Em seus agradecimentos, Monsenhor Edmar também destacou os trabalhos que realizou na Arquidiocese, seja como vigário paroquial e colaborador em várias paróquias, formador no Seminário São José, como Coordenador Arquidiocesano de Pastoral e, desde 2022, como diretor-geral da Faculdade Dom Luciano Mendes (FDLM). “Minha vida é muito ligada ao Seminário. Nunca me afastei do Seminário. […] Quero agradecer muito o Seminário de Mariana e à Faculdade Dom Luciano Mendes (FDLM)”, ressaltou.

Criada em 8 de dezembro de 1707, essa é a terceira vez que um sacerdote que atuou na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Ouro Preto, é nomeado bispo. Antes de Monsenhor Edmar, foram nomeados Dom José Francisco Versiane Velloso, em 1966, e Dom Francisco Barroso Filho, em 1984. “Pela terceira vez, o anjo da anunciação bate à porta da casa paroquial de Antônio Dias”, comentou Dom Barroso sobre o fato.

Monsenhor Edmar e seus pais.

Filho do clero marianense, residente em Ouro Preto e colaborador na referida paróquia, o Bispo Emérito de Oliveira também manifestou sua alegria diante da nomeação. “Monsenhor Edmar minhas congratulações mais sinceras. […] O seu modo de ser, sua simplicidade, profundidade espiritual, você tem mostrado que é uma pessoa iluminada e que, agora, continue sendo iluminado como bispo auxiliar”, disse.

A data e o local da ordenação episcopal de Monsenhor Edmar serão divulgados posteriormente.

Clero marianense esteve presente para a celebração em ação de graças. Da esquerda para a direita, na fileira de cima: Monsenhores Enzo, Edir, Danival e Edmar e Pe. Bruno. Ao centro, Dom Airton e Dom Barroso. Na segunda fileira, da esquerda para a direita: Padres Edvaldo, Geraldo Coura (Pe. Juca), Harley, Luiz Carlos dos Santos (Pe. Luizinho), Anderson Paiva e Fernando.

Texto: Thalia Gonçalves/Arquidiocese de Mariana

Foto: Mateus França/Pastoral da Comunicação da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Ouro Preto